Registar

Uma senha ser-lhe-á enviada por correio electrónico.

Foi realizado no passado domingo a 1ª edição da Taça dos Campeões, competição destinada a todas as equipas vencedoras de um trofeu durante a 1ª e 2ª época 16/17 e ainda 2º e 3º classificado da Elite.

Seis equipas foram distribuídas por dois grupos, ficando o grupo A alinhado com as equipas do Arrebenta Pipas (Minho), Inter FA (Porto) e Manga Tropical (Porto). O grupo B ficou formado por Os Faíscas (Penafiel), Farmácia do Oural (Penafiel) e Bueno Caffe (Porto).

Resumo de alguns dos jogos da fase de grupo:

1ª Jornada – Grupo A – Arrebenta Pipas  1 – 1  Inter FA

A formação do Arrebenta Pipas iniciou a competição numa formação em 3-2-1, com Élvio Salgado, João Silva e Tiago Salgado sempre mais recuados, no meio estavam Hugo Rocha e Diogo Peixoto, ficando João Costa na frente de ataque.

O Inter FA alinhou em 2-3-1, com Paulinho Reis e Bruno Alves a liderar a zona defensiva, no meio campo estavam José Santos, Fábio Silva e Frederico Soares, ficando como avançado David Cardinal.

A partida teve um inicio lento, com as equipas a procurar estudar o adversário, mas foi o Inter FA a primeira equipa a tentar o golo, através de remates de longa distancia. A equipa do Arrebenta Pipas ainda assim parecia ser mais organizado e foi conseguido, com passe curto, chegar mais perto da equipa adversaria, conseguindo a primeira oportunidade clara de golo aos 8 minutos, quando João Costa fica cara a cara com o GR adversário, com este ultimo a levar a melhor e a desviar a bola para canto. Este lance pareceu um prenuncio para o golo, que acabaria por chegar três minutos depois por intermédio de Tiago Salgado. O golo pareceu dar ainda mais tranquilidade á equipa do Arrebenta Pipas, que continuava a trocar a bola com critério, enervando a equipa do Inter FA que, quando tinha a bola, tinha dificuldade em criar oportunidades de golo, evidenciando mais a qualidade individual dos seus jogadores do que a coletiva.

O intervalo chegou e pareceu fazer bem á formação do Inter FA, pois três minutos depois do reatamento chegou ao empate por Fábio Silva. A partir daqui o jogo ficou mais dividido e ambas as equipas foram conseguindo chegar á baliza adversário. Pedro Pinto (Inter FA), num contra ataque rápido, quase fazia o segundo para a sua equipa e logo depois foi a vez do Arrebenta Pipas, através de Tiago Salgado, a rematar forte e colocado, com o GR a defender e a desviar a bola para o poste. A partir daqui o jogo começou a ficar mais agressivo e as faltas começaram a ser uma constante, retirando fluidez ao jogo, acabando por prejudicar ambas as equipas. No final empate a uma bola.

1ª Jornada Grupo B – Farmácia do Oural FC  1 – 2  Bueno Caffe FC

A Farmácia do Oural iniciou o jogo em 2-3-1, alinhando com João Pinto e Jorge Conceição no setor mais recuado, Carlos Araújo, José Barbosa e Daniel Mendoça a meio campo e José Meireles na frente de ataque.

O Bueno Caffe alinhou em 3-2-1, com Bernardo Monteiro, Armado Rodrigues e Bernardo Figueiredo mais atrás, Ruben Pereira e João Silva no meio e Fernando Antero como homem mais adiantado.

Inicio forte da equipa do Bueno Caffe, pressionado o seu adversário logo na sua zona defensiva, que assim não conseguia desenvolver as suas jogadas de ataques. Com isso o Bueno ia dominando o jogo e criando oportunidades de golo. Primeiro foi Bernardo Figueiredo, com uma boa jogada individual a rematar muito perto do angulo da baliza e logo a seguir nova chance para a abrir ativo, num lance em que o jogador do Bueno fica isolado perante o GR adversário, mas permite que este leve a melhor. Previa-se o golo e ele apareceu ao minuto onze, assistência primorosa de Ruben Pereira a isolar João Silva e este a fazer o primeiro golo da sua equipa.

A perder o Farmácia do Oural tentou subir no terreno e subir a zona de pressão e, com isso, acabaria por empatar. Recuperação de bola a meio campo, assistência rápida para José Barbosa e este na cara do GR a desviar a bola para o fundo da baliza, restabelecendo o empate.

O golo sofrido pareceu dar ainda mais força ao Bueno, que com isso foi ainda mais á procura do golo e por esta altura era Ricardo Ribeiro, GR da equipa do Farmácia, quem brilhava. Aos dezasseis minutos, Bernardo Figueiredo faz um cruzamento milimétrico para António Almeida, com este a cabecear e a enviar a bola ao poste e logo a seguir foi a vez de Paulo Fernandes isolar, com um passe longo, António Almeida, mas este a permitir uma vez mais a defesa do GR.

A segunda parte começou como acabou a primeira, com domínio da equipa do Bueno e tentativa de contra ataque do Farmácia sempre que conseguia recuperar a bola. O Bueno ia subindo as suas linhas e com isso o Farmácia recuava, tentando fechar todos os espaços para a sua baliza. Aos vinte e sete minutos da segunda parte a equipa do Bueno chega de novo á vantagem com um golo de belo efeito de Rafael Martins. Depois do golo a Farmácia pareceu querer algo mais e arriscou e com isso conseguiu ainda criar pelo menos duas oportunidades de golo, a mais clara por Jorge Conceição, com um remate colocado, permitindo uma boa defesa do GR adversário. No final, vitoria justa da equipa do Bueno Caffe.

3ª Jornada – Grupo A – Manga Tropical  4 – 2  Inter FA

A equipa do Inter FA iniciou o seu terceiro jogo já muito desgastada, muito por culpa das poucas soluções que tinha no banco de suplentes. Nos primeiros dez minutos a formação do Manga Tropical exerceu grande pressão com duas jogadas muito perigosas onde a bola passou perto do poste direito da baliza do GR do Inter FA. Ainda na primeira parte grande jogada individual de Sandro Lopes a rematar forte para uma enorme intervenção do GR adversário. A equipa do Manga parecia mais fresca e controlava mais o jogo, acabando por chagar com naturalidade ao golo mesmo a terminar a 1ª parte com uma excelente combinação dos jogadores mais adiantados do Manga Tropical e Rui da Silva com um remate à meia volta a fazer um golo de belo efeito após cruzamento.

A equipa do Inter FA seguia para o intervalo a perder por uma bola a zero, mas com vontade de mudar o rumo dos acontecimentos. E foi isso que aconteceu, iniciando a segunda parte com mais velocidade e mais pressão sobre o adversário. Com isso dificultou a saída de bola do seu adversário e com o tempo foi dividindo o jogo. As oportunidades para uma e outra equipa foram aparecendo, mas a pontaria parecia estar desafinada. Aos vinte e oito minutos, Ricardo Martins, conseguia finalmente alterar o resultado, fazia o segundo golo para a equipa do Manga. A formação do Inter FA não esmoreceu e continuou atrás do golo, que acabaria por ser conseguido ao minuto trinta e três por Fábio Silva. A perder por apenas um golo a equipa do Inter FA acreditou que podia chegar ao empate e foi arriscando cada vez mais, destapando a sua zona defensiva. A equipa do Manga percebeu isso mesmo e com contra ataques venenosos acabaria por sentenciar a partida, com mais dois golos, primeiro por Hugo Gomes e depois por Paulo Freitas. Já perto do final, Bruno Alves (Inter FA) ainda reduziria a desvantagem, mas já nada havia a fazer. No final, vitoria da equipa do Manga Tropical por quatro bolas a dua

3ª Jornada – Grupo B – Os Faíscas  5 – 2  Farmácia do Oural FC

A terceira jornada do grupo B colocou frente a frente dois velhos conhecidos da Liga de Penafiel.

O jogo não podia começar melhor para o Faíscas que logo no  primeiro minuto de jogo abria o ativo por intermedio de Ismael Campos. O golo sofrido não pareceu influenciar os jogadores da equipa do Farmácia e assim aos sete minutos conseguia chegar á igualdade por intermedia de José Barbosa, num lance em que o GR da equipa do Faíscas, Luís Fernandes, acabo por ser mal batido. Ismael Campos parecia inconformado com o resultado e aos doze minutos poderia ter feito o segundo golo para a sua equipa, mas o remate saiu demasiado colocado e acabou por embater no poste esquerdo da baliza adversaria. A resposta do Farmácia veio logo a seguir, jogada individual de José Barbosa, a finalizar com um remate colocado, mas a passar perto do poste. Aos dezassete minutos, grande jogada de Filipe Gomes, a isolar Ismael e este sem egoísmo a oferecer o golo a Francisco Gomes, que assim dava vantagem á equipa do Faíscas. No minuto seguinte, novamente Filipe Gomes na jogada, a isolar Francisco Gomes e este, com o seu instinto goleador, não rejeitaria a oportunidade para fazer novo golo. Ao intervalo a equipa do Faíscas já vencia por três bolas a uma

 

No segundo tempo, e a perder, a equipa do Farmácia tentou subir mais no terreno, mas foi fragilizando a sua zona defensiva. E quem tem Francisco Gomes sabe que o golo está sempre mais perto e foi o que aconteceu. Aproveitando muito bem o desequilíbrio defensivo do seu adversário acabaria por fazer mais dois golos, primeiro aos trinta e três e depois aos trinta e cinco. Ate ao final da partida, destaque ainda para o bom trabalho individual de José Meireles, a tirar o seu adversário da frente e a rematar cruzado e rasteiro fora do alcance do GR, diminuindo a desvantagem no marcador. No final, vitoria da equipa do Faíscas por cinco bolas a duas.

 

MF 1 – Os Faíscas  7 – 5  Arrebenta Pipas

Nas meias finais tivemos a formação de Penafiel, Os Faíscas, a defrontar a equipa de Guimarães, Arrebenta Pipas.

Inicio da partido algo lento, muito por culpa do desgaste que as equipas foram acumulando ao longo das partidas. Ambas as equipas tentavam jogar de forma segura, sem arriscar, trocando a bola essencialmente no meio campo. A equipa do Arrebenta Pipas foi a primeira a criar perigo, com um remate de meia distancia a passar perto da barra, mas foi a formação do Faíscas a abrir o ativo, aproveitando um contra ataque bem construído e bem finalizado por Filipe Gomes, ele que faria o primeiro de quatro golos na partida. A resposta do Arrebenta Pipas não se fez esperar e dois minutos depois igualava o marcador, depois de um bom trabalho do jovem jogador Rui Almeida. Depois dos dois golos, a toada do jogo voltou a diminuir, parecendo que ambas as equipas estudavam o seu adversário tentando perceber por onde poderiam entrar na sua defesa. Com isto acabaria por ser o Arrebenta Pipas a tentar o golo com um remate de longa distancia, com a bola a passar a centímetros da baliza.  Os Faíscas não perderam tempo a responder e, aos nove minutos, Francisco Gomes, goleador da equipa, voltou a fazer das suas, desbloqueando de novo o marcador para a sua equipa. Nesta fase Os Faíscas pareciam estar melhor e com isso voltavam a marcar, desta vez beneficiando de fantástico trabalho individual de Fábio Moreira a assistir Francisco Gomes, novamente letal a fazer mais um golo para a sua equipa, dando uma vantagem ao intervalo de dois golos.

A segunda parte não podia começar da melhor maneira para o Arrebenta Pipas, conseguindo reduzir a desvantagem logo no segundo minuto por intermedio de Vasco Pizarro, finalizando uma excelente jogada coletiva. Nesta altura o Arrebenta Pipas parecia estar melhor e procurava de todas as formas chegar ao empate. Aos dezoito minutos, Vasco Pizarro teve na cabeça a possibilidade de igualar, mas o cabeceamento foi ao lado da baliza. Quem não marca sofre e foi isso que aconteceu. Pontapé de baliza cobrado pelo GR do Faíscas diretamente para Filipe Gomes, este recebe com toda a calma e de calcanhar volta a fazer o gosto ao pé, dando novamente vantagem de dois golos á sua equipa. A partir daqui o jogo pareceu entrar numa toada de ataque e, através de mais uma boa jogada coletiva, a equipa do Arrebenta Pipas voltou a reduzir a desvantagem, desta vez por Tiago Salgado. Um minuto depois, Hugo Rocha, capitão da equipa do Arrebenta Pipas, fazia finalmente o empate para a sua equipa. Esta era uma fase louca do jogo, onde os ataques se sucediam e seria o Faíscas a voltar á liderança no marcador, através de um livre muito bem trabalhado e finalizada de cabeça por Sérgio Moreira. A equipa do Arrebenta Pipas pareceu sentir o golo e arriscando tudo, acabou por destapar a sua zona defensiva, acabando por ser penalizada em mais dois golos. No final, vitoria da equipa do Faíscas por sete bolas a cinco

MF 2 – Bueno Caffe FC 0 – 1  Manga Tropical

A segunda Meia Final colocou frente a frente Bueno Caffe e Manga Tropical.

A equipa do Bueno manteve-se fiel ao seu jogo, sempre muito agressivo na conquista da bola e passe curto, aproveitando a qualidade técnica dos seus jogadores. O mesmo se tipo de jogo foi apresentado pela equipa do Manga, o que acabou por resultar num jogo muito faltoso e com muitas perdas de bolas, onde nenhuma das equipas conseguia manter a posse de bola. Ainda assim tivemos algumas oportunidades de golo na primeira parte. João Silva (Bueno) rematou forte e colocado com a bola a passar a rasar o poste. Logo a seguir Paulo Freitas (Manga) envia a bola á barra.

A segunda parte manteve a toada primeira, prevendo-se que quem marcasse acabaria por vencer. As equipas pareciam sentir isso e arriscavam pouco, optando por diversas vezes por remates de fora da área. Muito perto do final do jogo, o golo que acabaria por decidir a partida por intermedia de Paulo Freitas, através de um remate colocado de meia distancia. A perder, a equipa do Bueno ainda tentou o golo arriscando tudo, mas o tempo já era pouco e nada havia a fazer. No final vitoria da equipa do Manga Tropical por uma bola a zero

FINAL – Manga Tropical  2 – 1  Os Faíscas

Na grande final tivemos a formação de Penafiel, Os Faíscas, a defrontar a equipa do Porto, Manga Tropical.

Inicio da partida com muita intensidade da equipa do Manga Tropical onde tentava chegar ao golo cedo. Nos primeiros 5 minutos a equipa do Manga Tropical teve duas ocasiões de golo com remates de Domingos Ferreira para defesas do GR adversário. A equipa do Manga continuou a pressionar e à passagem do minuto 11 Sandro Lopes não consegue fazer o golo num remate novamente intercetado pelo GR do Faíscas que se começava a evidenciar. A formação do Faíscas apostava sobretudo no contra ataque com Francisco Alves em evidencia a rematar por duas vezes por cima da barra. Antes do intervalo nova oportunidade de golo para o Manga Tropical onde os avançados não se conseguem entender e desperdiçam o golo. No contra ataque a equipa do Faíscas falha uma oportunidade clamorosa onde Vítor Barros com Nazaré completamente batido atira ao lado do poste direito.

As equipas foram para o intervalo com o empate a zero, onde se notava que o desgaste era o maior inimigo sobretudo dos Faíscas.

No segundo tempo a equipa do Manga Tropical entrou novamente determinada e chega ao golo por intermédio de Hugo Gomes que apenas teve que encostar para o fundo da baliza após bom entendimento com Paulo Freitas. O jogo continuava bastante disputado a meio campo, mas à passagem do minuto 25 Domingos Ferreira num grande passe em desmarcação isolou Miguel Oliveira que apenas teve que bater Luís Fernandes. Já nos instantes finais da partida, Francisco Alves reduziu a desvantagem com o melhor golo da Taça dos Campeões, remate em arco fora da área com a bola a entrar no ângulo esquerdo da baliza de Nazaré, nada podia fazer. No final, vitoria da equipa do Manga por duas bolas a uma.

O melhor marcador da 1ª edição da Taça dos Campeões foi Francisco Gomes, da equipa Os Faíscas, com 7 golos marcados.

HORAJORNADAGRUPOEQUIPA 1 EQUIPA 2CAMPO
15h001AArrebenta Pipas1 – 1Inter F.A.1
15h001BBueno Caffe FC2 – 1Farmácia do Oural FC1
16h002AManga Tropical1 – 1Arrebenta Pipas2
16h002BBueno Caffe FC2 – 2Os Faíscas1
17h003AInter F.A.2 – 4Manga Tropical2
17h003BFarmácia do Oural FC2 – 5Os Faíscas1
HORAJORNADAGRUPOEQUIPA 1 EQUIPA 2CAMPO
18h00PlayoffInter F.A.2 – 2*Bueno Caffe FC1
18h00PlayoffFarmácia do Oural FC2 – 4Arrebenta Pipas2
HORAJORNADAGRUPOEQUIPA 1 EQUIPA 2CAMPO
19h00MF 1Os Faíscas7 – 5Arrebenta Pipas1
19h00MF 2Manga Tropical1 – 0Bueno Caffe FC2
20h00FINALOs Faíscas1 – 2Manga Tropical1

Artigos relacionados